Bomba Jogador e chamado de “Bicha” e causa polêmica

SÃO PAULO – Um caso polêmico está agitando as semifinais da Superliga masculina de vôlei. Michael, jogador do Vôlei Futuro, afirma que foi alvo de homofobia durante a partida de sexta-feira diante do Sada/Cruzeiro em Contagem (MG). No confronto, a equipe da casa levou a melhor e saiu na frente na série melhor de três.

Divulgação
Divulgação
Michael (dir.) ao lado de Ricardinho em jogo da Superliga

Michael, que é homossexual, disse que foi chamado de “bicha” pela maior parte dos torcedores presentes no ginásio, em coro. O árbitro não relatou o ocorrido na súmula, mas o Vôlei Futuro encaminhou um relatório ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) do vôlei e cobra providências.

“No jogo em Contagem eram cerca de duas mil pessoas, o ginásio estava super lotado e todos me chamando de ‘bicha’, ‘gay’ e outras ofensas. Me senti ofendido e constrangido pelo ocorrido. Não eram só alguns torcedores de torcida de futebol, eram crianças, mulheres, o ginásio inteiro gritando e me ofendendo. O jogo foi transmitido pela TV e não só quem estava no ginásio pode ouvir, mas todos que assistiram ao jogo pela TV no Brasil inteiro, depois da partida as pessoas em Araçatuba e de diversos lugares vieram me perguntar o que tinha acontecido e se mostraram muito solidárias. Eu poderia ter jogado melhor se não tivesse passado por esse constrangimento e me senti julgado pelo lado pessoal e não pelo profissional que sou. Acho que este tipo de acontecimento não deve passar em branco, realmente me fez muito mal, acho que deve ser divulgado e discutido para que isso não ocorra com mais ninguém”, declarou o atleta.

“Sou gay, mas isso não precisa ser comentado. Todo mundo aqui sabe”, disse posteriormente, em entrevista ao Globoesporte.com.

Vôlei Futuro reclama. A equipe de Araçatuba divulgou uma nota repudiando a atitude da torcida e dos dirigentes adversários. “Tratando-se da torcida do Cruzeiro, esta atuou de maneira feroz e preconceituosa, mostrando ódio, aversão e discriminação a um dos atletas do Vôlei Futuro, deixando claro o manifesto de homofobia dentro do Ginásio. O coro era de forma organizada, crianças, homens e mulheres se juntaram para cometer o tremendo desrespeito e discriminação com o atleta Michael”, destaca o Vôlei Futuro.

O time do interior paulista também reclama da superlotação do local. Diz que se deparou com um segurança “aparentemente alcoolizado”, afirma que não havia ingressos para a sua torcida e denuncia que o policiamento local era inferior à necessidade de pessoas presentes.

“Na saída mais um caso de desrespeito, do Ginásio até o ônibus da equipe não havia segurança ou membro da organização da equipe adversária. Nossos atletas passaram pelos torcedores que se agrupavam para xingá-los e desrespeitá-los”, ressalta o comunicado.

Reposta. O Cruzeiro refuta as acusações e ainda ataca o rival. “Suspeitamos que tais ‘denúncias’ sejam uma nítida manobra no sentido de intimidar a nossa equipe e nossa torcida no jogo da volta em Araçatuba, no próximo sábado”, diz, em nota. A equipe mineira teme hostilidade contra seus jogadores no próximo confronto.

De acordo com a diretoria cruzeirense, o jogo foi normal e a torcida fez uma festa bonita, como sempre acontece na Superliga. “O Cruzeiro não incentiva e nem apoia atos considerados como preconceituosos. Ao contrário, sempre pede que todos sejam tratados com respeito. Após a partida, funcionários da equipe Sada/Cruzeiro viram vários atletas do Vôlei Futuro, como Leandro Vissotto, Mário Jr e Michael tirando fotos e dando autógrafos para os torcedores, em sua maioria crianças e mulheres, num clima comum a um jogo de vôlei. Nenhuma confusão.”

Além disso, o time de Minas Gerais declara que todos os integrantes da delegação do Vôlei Futuro foram bem recebidos no ginásio.

(Atualizado às 18h09 para acréscimo de informações)

Sobre Artistas e tv
Bem vindos ao Blog de maior intretenimento e noticías da televisão brasileira.

One Response to Bomba Jogador e chamado de “Bicha” e causa polêmica

  1. Jean Carlos disse:

    Estamos todos fardados a viver sendo julgados, é claro que nao somos todos gays ou de outra classe sexual, para que sejamos chamados de “bicha”. Mais para pra pensar, o Michael é gay e joga volei melhor do que muitos que estavam na arquibancada xingando o jogador, e muitos dos que estavam la assistindo nao tem no minimo a capacidade de torcer direito. Poxa, se fosse pro Michal ser mais uma vitima de homofobia ele teria comunicado a voces, preconceituosos que nao sabem a diferença de volei pra futsal. Entao, deixem de ser tolos e creçam pois a idade de ficar brincando de ser ciança acabou e agora é hora de brincar de aceitar as duferenças.!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: